Página principal
27-05-2013

Comunicação

Audiências Públicas

  • audiencia_publica_img

    Momento em que a Câmara Municipal de Blumenau abre espaço  para debater assuntos de grande relevância e interferência direta no cotidiano da comunidade. Acompanhe, a seguir, as principais Audiências desta Casa Legislativa.

Vídeos


11/04/2017 / Situação das Associações de Moradores é discutida em Audiência Pública

Com o plenário lotado de representantes da comunidade, a Câmara de Vereadores realizou nesta segunda-feira (10), uma Audiência Pública que discutiu a situação das associações de moradores da cidade e a participação da União das Associações de Moradores de Blumenau (Uniblam). Um relatório com as demandas apresentadas durante o evento será entregue pelo proponente da audiência, vereador Ito (PR), ao Poder Executivo.

Participaram do encontro, além do vereador proponente, o presidente Marcos da Rosa (DEM); os vereadores Adriano Pereira (PT), Oldemar Becker (DEM), e Ricardo Alba (PP), o vice-prefeito Mário Hildebrandt (PSB) e a coordenadora da União das Associações de Moradores de Blumenau (Uniblam) Aline Votri, entre outras autoridades. O vereador Ito lembrou que há 12 anos as associações tinham intuito de realizar encontros e divertir a comunidade. “Hoje as pessoas não frequentam mais as associações e evitam o contato por conta de maus elementos que afastam os moradores”, afirmou. O vereador exibiu imagens de associações que estão abandonadas e de outras que contam com boas estruturas. Sugeriu que seja criada uma comissão para que as associações possam estar em contato com a União das Associações de Moradores de Blumenau (Uniblam) e que essa parceria possa melhorar as condições das associações. Sugeriu a realização de pedágios para arrecadar fundos às associações e sugeriu que sejam oferecidos cursos e palestras em parceria com a Fundação Cultural e a Fundação Municipal de Esportes. O vice-prefeito Mario Hildebrandt destacou a importância de ouvir o histórico e as necessidades das associações de moradores. “Nós temos em nossa estrutura o apoio e o acompanhamento das associações. Recebemos um gabinete sem histórico, sem conteúdo das associações, essa é a realidade. Pedimos o apoio de vocês para que possamos reorganizar o trabalho”. Também ressaltou a importância de atender processos burocráticos estabelecidos pela Câmara dos Deputados para melhorar a condição das associações. A coordenadora da Uniblam, Aline Votri, comentou as preocupações da unidade que representa os moradores e seus representantes. “Hoje contamos com cerca de 150 associações e dessas apenas 70 são ativas. O que falta muitas vezes é o conhecimento, falta de interesse e instituições que os apoiem”. Lembrou que as associações surgiram para atender demandas de moradores e afirmou que “onde não existem problemas não existem associações de moradores”. O vereador Adriano Pereira (PT) lembrou que durante 20 anos atuou na associação de moradores do seu bairro e disse que se preocupa com a falta de atenção e apoio às associações ativas. “Os valores das subvenções para as associações de moradores deveriam ser iguais, sem distinção política das secretarias”. Disse que espera que essa não seja apenas mais uma audiência pública. “Vocês estão fazendo a parte de vocês, nós estamos fazendo a nossa e esperamos que o prefeito também faça a parte dele”. O vereador Ricardo Alba destacou as diferentes demandas presentes nos 35 bairros. “A gente sabe da falta de estrutura nos bairros e na própria associação. Não deve haver entrave para a associação entrar na Câmara de Vereadores e na prefeitura”. Comentou que muitas associações são procuradas apenas em período eleitoral e isso precisa ser mudado. O vereador Oldemar Becker lembrou que em 1991 acompanhou o surgimento da associação de moradores da rua Guilherme Paul Werner e transversais. Sugeriu que a prefeitura ceda um contador para dar suporte às associações de moradores. “Cada diretoria precisa unir sua comunidade e realizar seus eventos”. Também citou o bom trabalho realizado nas associações de moradores do loteamento Girassol, da Franz Volles e da Velha Pequena. Associações de moradores inscritas O presidente da Associação de Moradores do Loteamento Alfa Park e Adjacências - Amolapa, Joao Agostinho Marciniak, disse que até hoje a associação de sua comunidade não tem uma sede. “Os moradores cobram da gente um local para fazer uma atividade física. Já encaminhamos duas áreas para a prefeitura, mas nenhuma foi aprovada”. O presidente da associação de moradores da Tatutiba 1, Marcos Cesar Coelho, disse que a prefeitura perdeu o respeito com as associações de moradores. “Eu sei que minha comunidade precisa da associação. Hoje as crianças da região não têm o que eu tive na minha infância, mas não vou desistir”. Sugeriu que a prefeitura ceda maquinário para fazer a terraplanagem para a associação de moradores. O vice-presidente da Associação de Moradores do Garcia/Jordão, Wagner Schanaider, apresentou uma proposta para unir as associações de cada bairro, a exemplo do que ocorre com os conselhos locais de saúde, para que as demandas de cada localidade sejam estabelecidas e reivindicadas junto ao Executivo. Também comentou as dificuldades burocráticas e destacou que a “a ajuda do poder público faria muita diferença”. O representante da Associação de Moradores do Tribess, Aloísio Lanser, disse que sua associação tem 30 anos e que tinham uma sede própria, mas devolveram à prefeitura. “Reformamos a estrutura umas 20 vezes, mas por conta da violência e do vandalismo tivemos que nos desfazer dela. Foi a melhor coisa que fizemos”. Comentou que quando há necessidade de realizar eventos, é utilizada a escola do bairro. O representante da Associação de Moradores e Amigos da Itoupavazinha (Amabi), Jorge Humberto, destacou que tem saudade do orçamento participativo da época do prefeito Décio Lima (PT). “Minha associação está caindo. A antiga diretoria assumiu a associação de moradores com objetivo político e depois que perderam a eleição abandonaram o espaço”.

Já o ex-presidente da Associação de Moradores da Rua São Bernardo, Sr. Marinho, enalteceu o trabalho em conjunto da comunidade “A associação tem que atuar sem partido político. Nós não precisamos cobrar nada da prefeitura por que cobramos uma mensalidade simbólica dos moradores”. Sustentou que a Uniblam precisa cadastrar as associações e receber um valor de cada associação.

O presidente da associação de moradores da rua dos Caçadores apontou que possui uma estrutura com secretária, contador, quadra de futebol e cerca de 400 crianças realizando atividades. “Nós trabalhamos muito para ter essa associação do jeito que está hoje. Não recebemos nada do poder público”, sustentou. A presidente do COMEN, Caroline Merini falou das ocupações do espaço social e enalteceu o engajamento e participação dos representantes durante o evento. “É importante a participação da comunidade no Conselho Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas e outras ações do município. “É papel do COMEN discutir as políticas sobre drogas e estamos lançando uma cartilha de conscientização nos bairros”. O representante do Executivo, João Francisco Beltrame, disse que é preciso reunir todas as demandas apresentadas e discutir ações que possam melhorar a vida da comunidade. “Vamos levar as propostas ao Executivo para depois fazermos uma reunião no gabinete do vice-prefeito”. Defendeu a importância da união dos moradores com as associações para que as reivindicações sejam atendidas. O presidente Marcos da Rosa destacou a importância que cada representante dá à sua comunidade. “Não é fácil estar presente em todas as associações de moradores”. Destacou que por vezes quando um vereador está em uma reunião ele representa todos os outros que não puderam estar presentes. Ao final, o parlamentar proponente da audiência, vereador Ito, destacou a Lei Complementar de sua autoria para permite que a Uniblam coordene as Olimpíadas das Associações de Moradores junto à comunidade. “Farei um relatório e vou agendar uma reunião no Executivo. Na outra semana vamos iniciar uma peregrinação para atender as associações de moradores”, finalizou. A Audiência Pública será reprisada pela TV Legislativa no próximo sábado, dia 15, às 21 horas, pelos canais 14 da NET e 19 da BTV. Também está disponível no site da Câmara: www.camarablu.sc.gov.br. Fonte: Assessoria de Imprensa CMB Fotos: Jessica de Morais | Imprensa CMB


Outros Vídeos: